« junho 2007 | Main | agosto 2007 »

julho 2007

31-07-2007

Vida no hospital das estrelas, por Nicolas Rouquette

Foram oito dias de 29/6 a 6/7 ( aniversário do Arnaldo Baptista.) E agora três a cinco dias até minha volta ao lar, doce lar.

Hoje viajei! Saí daqui até o outro lado del río da rua, com dois rapazes do serviço de transporte de emergência.  Um era um Obelix nórdico, realmente muito grande. O outro era um tremendo gato, traumatizado; sua mãe foi abandonada grávida.  Bonito o rapaz.

Como sei dessas coisas?  Não consigo ser caladona e gosto de descobrir as estórias das pessoas.  Fiz uma ressonância da coluna em duas etapas, uma delas usando contraste.  Eles querem ver se há bloqueio, nervos pinçados; só vejo a conta subindo como o Lunik 9 na música do Gil.

A noite havia sido um terror porque nehuma das enfermeiras conseguiu achar veia para outra IV.  Uma delas resolveu furar no peito.  Hoje de manhã me dei conta; quase pirei.  Imaginem se ela furava meu peito de silicone dos 30 mil dólares de reconstrução!  Limpeza de silicone é infernal no mau sentido.  Aliás, ando vendo umas novelas mexicanas; nossa mãe é cada melão! Tudo falso, óbvio.  Todas elas na moda Global, cabelo de chapinha só que justificando a piadinha infame e racista -- Como é que mulher mexicana faz regime?  Lava a cara de toda a maquiagem.

Como é ruim a TV, que mediocriadade, violência e exploração da ingenuidade dos gringos.

Quê mais?  Hoje de manhã veio uma enfermeira que me ouviu. DIsse-lhe qual era minha veia boa.  Deu certo.  Estou com mais mancha rocha que botafoguense que vira pro lado errado na arquibancada de Botafogo x Flamengo.  Aliás, Marília, segundo Nelson Rodrigues o mineiro é solidário só no câncer.

A comida é ótima porque me amarro na cozinha americana. As enfermeiras são boas, em geral.  A de hoje era de ...Fargo, uma lourinha safada se fazendo de boba.  A auxiliar, tadinha, dava importância a tirar pressão como se fosse portar as jóias da rainha em uma cerimônia da Igreja Anglicana.

Estou apaixonada pela endocrinologista "cherry bomb." Ela mesma, a chaveirinho.  Faríamos um par perfeito senões à parte.  Apareceu uma sombra na tiróide nessa tal de cintilografia.  Ela diz que não é câncer.  Tanto ela quanto o clínico acham que é o lítio.

O lítio é o remédio de praxe para desordem bipolar.  É natural, foi descoberto no Texas, onde havia uma cidadezinha com habitantes calmos. O lítio estava na água do rio que banhava a cidade.  Só que quando se toma lítio há uma dose ótima no sentido médico e uma dose acima desta que é tóxica: dá tremores, miastenia, tudo isso que eu estava sentindo.  Os exames não apresentam irregularidades em nada; logo deve ser o lítio.

Tem um remédio novo na praça, Abilify® , que ao contrário dos outros remédios psis faz emagrecer dizem.  O senão é a possibilidade de uma coceira que indica uma condição fatal.  Pois é.

Melhoras pra tua mãe, Danilo. Sumiu mas apareceu , Nati!

O problema deste IV novo é que está na dobra do braço direito e começa a soar quando dobro o braço.  Vou fazer um download rapidinho das fotos do quarto e passo pro  https://www.flickr.com/photos/anarchic_universe/

Um grupo de freirinhas caiu na besteira de pegar um avião para PoA, pois ouviram falar que os homens lá são inofensivos.  Só que houve um desastre e todas morreram.  Fizeram fila para admissão ao céu.  À primeira, São Pedro perguntou: -- Teve pensamentos pecaminosos, irmã?  A freirinha enrubesceu e confirmou.  São Pedro mandou que ela passasse água benta na cabeça e deixou passar.  À próxima, perguntou: --A irmãzinha pecou com a boca?  -- A freirinha ficou sem jeito e confirmou.  São Pedro mandou que bochechasse água benta e ela entrou.  Aí uma freirinha nervosa, nervosa, cutucou o São Pedro e disse:
--Sim, São Pedro aprontei sim, mas o senhor deixa que eu passe antes da Irmã Cleusa, que beijou o padre lá onde o sol não brilha?

Desculpem. Depois rezo umas Salve-Rainhas (com livrinho.) Obrigada pelo apoio, preces, espero que as galinhas e velas não estejam sumindo e reaparecendo em encruzilhadas.

Boa noite e até amanhã, se Deus quiser.

O hopital não chega a ser um restô francês mas é bão. No embalo do politicamente incorreto, Speedy Gonzales, o verdadeiro MAL, Alberto Gonzales, ainda tá de bobs.

Tg_le_petit_cafe12004

30-07-2007

Direto do quarto 2192 - Palpite pro bicho, por Nicolas Rouquette

Domingo de madrugada vim pra cá, para o hospital das estrelas.  Tive que ficar na emergência, esperando trem   esperando uma quarto, fazendo exames.  As enfermeiras seriam um pagode (batuqe na cozinha, Sinhá não qué, por causa do batuque eu quebrei meu  pé) se as circunstâncias fossem outras.  Embora elas tivessem um aparelho para expor as veias, elas vinham com "Let's pray now." Let's pray o cacete da incompetência que te faça nascer asno comendo pasto na próxima encarnação.

Depois de umas sete tentativas decidiram que não tenho veias.  E aí veio o aparelho, que estava sem pilhas, mas a preguiça era demais para buscar pilhas. Foi a exposição categórica das credenciais do Nicolas (nada disso, mentes torpes, ele é engenheiro eletrônico) que as convenceu a moverem as respectivas bundíssimas.

O exame de sangue mostrou que o índice de cálcio no sangue estava a 11,27. Não, suas mentes salobras imundas, não é de beber suquinho da vida, ou de tomar leitinho.  São as paratiróides descompensadas, provavelmente.

As freiras na gerência do Saint John's construíram uma ala nova, onde estou. Nicolas acabou de descobrir que há wireless. Aqui estou, pois, para mandar meu relato pra vocês. E podem jogar no 2192, que dá na cabeça.

Hoje foi o dia da cintilografia, amanhã ressonância, e mais um outro exame. E outros dois de sangue.  A comida é boa, as enfermeiras "vareiam."  Algumas boas, outras preguiçosas. Ao menos hoje ando sem auxílio e tenho forças para me levantar.  Os médicos são competentes, a caipira lourinha endocrinóloga é uma "cherry bomb."  Cherry bomb é um explosivo de quase três centímetros que destrói uma casa inteira.  Ela impõe e manda mesmo.  Botou as enfermeiras nos conformes.

Achamos, os médicos e eu, que é o lítio que está causando essas descompensadas. Passarei para o Abilify.

Agradeço a todos que se manifestaram e aos que mandam seus votos de pronto re-estabelecimento via correio vibrações mentais.  Tenho a maior fé que desta vez saírei daqui na direção certa, de volta a mim mesma.

E por falar em fé, aê. Nada será como antes, imagem assim assim, som demaish.
Já pensaram em ver o Bituca, Wayne Shorter, Naná, e outros bambas em um bar histórico em NYC? <3  <3 <3  Até!

At the Algonquin Hotel, NYC

29-07-2007

Dias Não, por Nicolas Rouquette

Pretendo voltar ao hospital para me internar.  Não é possível viver a chamar Nicolas a cada vez que quero me levantar de uma cadeira a outra.  Tremo e não tenho forças.  Esta condição é progressiva. Não tenho medo porque tem que ser explicável, nem que custe cinqüenta agulhadas de exame de sangue.

Ontem não me consegui levantar da poltrona, onde sentadinha lia o "Tarde", novo livro do Poeta Laureado.  Depois, cada viagem pela casa guiada pelo Nicolas e agora à noite uma queda ao querer me levantar da cama. E no chão fiquei.

"As bruxas estão soltas", dizia o Caetano. Não acredito nessas coisas, nem horóscopo nem nada.  Junto com os meus problemas nosso serviço de Internet  enxilicou. Nicolas passou horas ensinando o quê fazer ao técnico.  Depois dessas horas, a Net voltou.

Pra não dizer que parto assim sem mais nem menos,  fiz upload de duas séries de fotos no Flickr.  Uma é sobre a Kitty Carslyle, nossa gata rainha.  A outra é sobre o Algonquin Hotel (Al-GON-kuin) patrimônio histórico da cidade de NYC.
E no Anarchic_Universe tem  um poeminha que escrevi hoje de madrugada.

Meu endereço lá no Flickr é:

https://www.flickr.com/photos/anarchic_universe/  ©Anarchic_Universe,2007

Yosemite2




27-07-2007

A época do rádio, por Nicolas Rouquette

Deixei um link de várias pérolas que o Brasil conheceu via rádio.  Hoje me deleitei com a voz do Luiz Jatobá, que voz linda, deve ter sido um piratão do volante.  Há tanto do Brasil que morre a cada dia. Para mim o pior é a mudança da índole do "Brasileiro Pacífico" para um brasileiro raivoso, com desprezo de si mesmo e de outros brasileiros.  Esta raiva só perde para a raiva cega contra os "gringos prepotentes e arrogantes."  A gente nem votou no Imbecil, o voto nos EUA não é obrigatório.  Pode ser errado que eu generalize. Acho que desde que os negros resolveram afirmar seus direitos fora das garagens, feiras e cozinhas deu tilte.  Porque sempre se disse no Brasil que um negro devem conhecer seu lugar.  Deviam fazer uma paradinha aqui, na terra da lei de uma gota é negro, vide o conto "Desirée".  Não ia sobrar muito branco não.
Viajemos por um Brasil mais Kewl.  Que tal os primos pobre e rico. O bordão é "Rico ri à toa."

Primo Rico (Paulo Gracindo) e o Primo Pobre (Brandão Filho) - Rádio Nacional - Anos 50

E a Maria Candelária, alta funcionária, entrou pela janela e caiu na letra O. Canta Blecaute, que era negro mesmo.
Música Maria Candelaria com o cantor Blecaute - 1952

Em homenagem à Vânia, minha amiga, um samba do Noel, Palpite Infeliz, cantado pela Aracy de Almeida canta Palpite Infeliz, música de Noel Rosa - anos 40

Esta musiquinha era dos curtas do Carlinhos Niemeyer, o qual teve que amargar muito passe de classe e gols do Glorioso da Estrela Solitária.
Canal 100 - A famosa trilha do futebol composta pelo pernambucano Luis Bandeira é usada no futebol do Canal 100 desde 1962

Vamos rolar um Luiz Jatobá e sua voz caliente?
A Voz da America apresenta "Hit Parade" com Luiz Jatoba - Rádio JB PRF-4

Vejam só.  Há muita coisa boa no Brasil e idem nos EUA.  Graças aos negros, temos a música de jazz a blues a hip-hop.  As modificações lingüísticas, das roupas, os negros aqui são pró-ativos.  No Brasil a contribuição negra é imensa.

Como disse o Rodney King, "Can't we all get along?"

Blogueiros, não deixem de passar no Contraditorium para participar num movimento de legitimação do ser blogueiro.

Tanto meu filho quanto minha sobrinha têm ascendência negra. Isto não os fez menos inteligentes ou merecedores do nosso amor. Com vocês a porto-riquenha do Brooklyn, como ela prefere ser chamada, Rosie Perez, "It Takes a Nation" sobre a tragédia em New Orleans.

Somos campeões!.JPG

26-07-2007

A viagem do JQ ao polo sul, por Nicolas Rouquette

Não espero que vocês saibam quem é o JQ.  JQ foi o presidente mais votado do Brasil até 1960 e tal. Quase paulista, oriundo de Goiás, autor da frase que saiu da vida para entrar para a história, "Fi - lo porque qui -lo" , 200pxjanio1 passou por louco, revolucionário, o homem que limparia o país de mais um mar de lama.  Esse mar de lama é expressão do jornalista Carlos Lacerda, que se dizia probo mas tinha cobertura na praia do Flamengo ilegal e de vários andares. Lacerda era o Robin do Batman JQ. O partido deles era a UDN, o partido dos milicos casados com professoras primárias na Tijuca, um bairro conservador metido a besta na Zona Norte carioca.  Fui ver a votação no Tijuca Tênis Clube.  Todos os udenistas com suas vassourinhas na lapela para limpar o país. Os que iam votar no General Lott tinham suas espadinhas.  Foi uma lavada para os udenistas. Ou uma varredura?

Em 1961, o Jânio começou a tomar decisões.  Proibiu briga de galo.  Instituiu um uniforme safári mais condizente com nosso clima para o funcionalismo; implicou com desfiles de misses. Ao mesmo tempo foi arrojado em política: o Brasil passou a ser um país independente de blocos EUA ou União Soviética. Jango Goulart, seu vice-presidente, foi à China.  Fidel visitou. Aumentou o salário mínimo. Foi ao Xingu visitar os indígenas com sua esposa, dona Eloá.  Desta visita saiu uma marchinha de carnaval:  ê-ê-ê ê- ê, índio quer apito se não der pau vai comer.  Parece ou dizem que a senhora do Jânio teve flatuência ou um índio gostou do pandeiro da Primeira Dama. As pessoas inventam de tudo.

O Lacerda enchilicou com a estória de miguxismo com os comunistas e preparou um discursinho daqueles arrasa-quarteirão.  Jânio sumiu logo antes da sua renúncia (golpe pra voltar no lugar do Jango, que era de outro partido.)  Ninguém sabe onde foi mas eu sei.

Jânio Quadros pediu ao primo da minha mãe Celso, piloto da FAB, para levá-lo ao Polo Sul .  Queria ver como era por lá, just in case.  Chegou lá, viu uma linda paisagem e por via das dúvidas levou sua metralhadora cubana, lembrança do Fidel e del paredón.

Começou a andar a esmo quando viu um bando de pinguns reais correndo em sua direção, batendo suas asinhas atrofiadas, fazendo o maior escarcéu.  Jânio não teve talvez e abriu fogo. 

Chegou o Celso, apavorado: --Mas que é isso?

Jânio disse: -- Pingüins que me atacam!  Fi -lo porque cale-se!

Celso: --Vossa Excelência não viu direito; eram freirinhas em busca de socorro!

E assim, roído pelo remorso, Jânio voltou ao Brasil para renunciar.

Moral da história: Jânio, Lacerda e Jango, tadinho, foram cassados, entre vários outros.  Hoje seguem denúncias a presidente e congressistas. O PT, que concorreu baseado em sua virgindade política, perdeu o cabaço.  O mar de lama é lembrado por jornalistas com retórica menos criativa que a do Carlos Lacerda. E vamus nóis! Sobraram por aí as Viúvas do Lacerda (UDN) Abaixo um trecho de "Índio quer apito", interpretação etílica da Banda de Ipanema. Hoje encerrei. Há três posts pequenos no Anarchic_Universe. Segunda vou ao neurologista.  Isto é inferno cármico e nem acredito nessas coisas.©Anarchic_Universe,2007

Ressaca_041806

25-07-2007

Isabel traduziu e escolheu: tradução do occitan, por Nicolas Rouquette

Apaguei o comentário da Isabel, a única pessoa que ousou traduzir o occitan ou languedoc para o português.  Sua tradução atraiu dois lingüistas na França,  no sudoeste.

"Cultura. Para a cultura do alho, cabe saber que o alho ama uma terra rica, *** e sã e que floresce/frutifica melhor quando encontra um terreno com bastante material orgânico. O alho gosta também das terras úmidas, onde se desenvolve facilmente. Para plantar o alho, não basta pegá-lo e cobri-lo de terra. Os passantes passarão e falarão (alguma coisa)."

Não é cem por cento. Parabéns, fez sua tradução sem dicionário.

https://www.lexilogos.com/occitan_langue_dictionnaires.htm
https://www.panoccitan.org/diccionari.aspx?diccion=&lenga=oc

Cultura. Per la cultura de l'alh cal saber que l'alh aima uma tèrra rica , prigonada e sana e que capita pas gaire quand òm lo met dins un terren fumat amb d'engraisses organic. L'alh crenta atenbem las tèrras umidas ont se poirís facilament. Se plantan d'alhs, per vos faire comprene que los cal pas gaire cobrir de tèrra, los paisans vos diràn : << Los alhets cal que vos vejan enanar.>>

As fotos são:





E esta, Ambas no Flickr



Parabéns, Isabel!
Últimas palavras de hoje neste blog safado de uma velha palpiteira que se atreve a defender os negros no Brasil. Os dos EUA se defendem muito bem, obrigada.
Quase todos os brasileiros têm sangue negro. Ou judeu. O problema de piadas envolvendo palavras que denotam racismo é que as piadas perpetuam o racismo dando a impressão de que não tem problema xingar ou fazer piada de nordestino ou negro, etc. e tal.  O Universo Anárquico e o Anarchic_Universe têm como princípio não usar deste tipo de humor.  Durante muito tempo fiquei furiosa ao ser chamada de velha.  Não me importo mais. Meus blogs vão bem, tenho leitores e amizades aqui no espaço cibernético.  Enquanto houver um gay atacado  com selvageria até morrer, acho que não devo acrescentar mais lenha à fogueira.

Não me sinto bem.  Vou me esforçar para passar no F World, Mas Que Loucura, A Grande Abóbora, Amar-ela, ius communicatio, ler os feeds que ainda não li, loucamente, breviario, semiotica, alvarenga, só que tenho sono e levei uma facada de uma Brutinha, em vez de dizer Quoque tu, Brutus tenho vontade de dizer "Vai tomar no ...."  essa estória pareceu treta de blog, durou uma volada de mail o dia inteiro mais ameaças concretas ao bem estar da minha família.

Acordei às quatro para escrever ao Brasil de maneira a previnir qualquer sabotagem aos nossos interesses, juntar papelada e passar fax.  Vai passar.

P.S.   Typepad ainda tá doido desde o apagão de ontem em SFO.  Meus arquivos sumiram e o W1zard me avisou que ´†a esquisito pra ler. Vou esperar o "desleixado" do meu marido chegar para ver essas coisas.  Obrigada e até+!

Orkut-Google; links de primeira, por Nicolas Rouquette

Não existe nada melhor que os Alertas Google, embora tenham falhado justamente quando Google entregou os pontos ano passado e foi um blogueiro, Victor Pérez, d'O buraco é mais embaixo, quem passou a notícia no debate do 1/2 Bit, direto do IDG-NOW.  No dia seguinte ao furo incontestável deste bloguxo que anda em várias más companhias e outras sublimes para dar sabor de vida ao Universo Anárquico, a Folha me escreveu indignada.  Sorry , baby, como diria o Almirante Nelson do Ao Mirante.  Para criar um alerta é só teclar www.google.com e verão uma linha: Create an Alert.

Será que esta vez é: Acordo MPF com Orkut-Google,
Não entendo por quê acordos estado a estado.

Essa é ótima.  Não posso estragar o componente surpresa.

Exclusão atrasada? $$$$$$$$$$ Google banca.

Eduardo Carvalho sempre certo.  Leiam o vaticínio dos peritos.

E meus arquivos de agosto a outubro sumiram!
The reference number for your submission is '070726-000053'.

Boceta
Uma das minhas más companhias me mandou. Parece um orifício vaginal; é simplesmente um túnel, não o do amor. É o buraco branco cercado de negro.
Aê, vamos alegrar o sensível miskoto pra ele dizer em qual das quatro livrarias de PoA ele vai assinar seu livro, o segundo, este sábado vindouro.

Musiquinha? Claro que sim. Em homenagem ao cabelo poin-nhoin-nhoin do Gabriel Von Doscht, marca claríssima de Brasil, vamos a alguma música exótica: All Along the Watchtower e Mozambique do Bardo de cabelinho poinhoinhoin.

24-07-2007

Rádio Nacional - Revista do Rádio, por Nicolas Rouquette

Antes de colocar a matéria na blogosfera, quero agradecer a vocês todos, desde os que são link do Universo Anárquico aos pré-púberes que buscam besteirol nos textos, e aos que têm ido ao Image Google. Ontem foi uma dia incrível.

Encontrei um link muito mais incrível: uma lista de pequenos QuickTimes da Rádio Nacional.  Pior que quando usei o título "Estranho, Fantástico, Extraordinário" tive a impressão de ter lido ou ouvido a expressão antes. Era um programa do Almirante, que era tio do padrinho da minha irmã.

https://www.locutor.info/audioEradeOuro.html

Vocês não imaginam que tesouro. A queda de Hitler, a derrota de 1950 do Brasil contra o Uruguay, Carmen Miranda, espero que curtam esse achado.

Lembro-me da Rádio Nacional e do porre às sete da noite -- A Voz do Brasil.  Aliás, às seis tinha a "Virgem Maria" com a qual implico pois virgindade é pra trouxa de lençóis alvos e imaculados.  Cheguei aqui em 1957. Época áurea da Rádio Nacional.  Perdi o grande pagode promocional do Cauby Peixoto.  As meninas eram loucas por ele embora os rapazes murmurassem "30" ao ouvir o Cauby cantando "Conceição." Com seis são... Havia a rivalidade entre a Emilinha e a Marlene. Para documentar tudo isso a "Revista do Rádio" --ei jornaleiro! É essa que quero, o jingle era assim.

Dentro da Revista do Rádio havia a coluna das "Fofocas da Candinha."  Tudo muito família comparado com as fofocas que leio na Net.  Uma promovia a outra.  O pagode promocional do Cauby foi simples.  Usou roupa alinhavada e quando saiu da Rádio Nacional as mocinhas foram ferozes .  Ele ficou de Ultraje a Rigor.

A bossa-nova e o rock jogaram a velha-guarda no lixo do cafona.  A Tropicália resgatou uns e outros.  Chico Buarque resgatou o Cauby, que nesta entrevista solta a voz em inglês, alemão, francês, e português.  Brasileiro quando quer estraçalha.

Ah! O rádio. Fiz um a partir de um kit, a única vez em que demonstrei habilidade para isso. Morreu com o rádio a discussão à mesa mostrada no "Panis et Circensis."  Sobrou o empanturrar-se assistindo às novelas Bobais.

23-07-2007

Médica? Deus que me livre!, por Nicolas Rouquette

Juro que hoje pensei na preceptora do J.R. Leite.  Quem nunca ouviu falar nesta russa vingativa, que vá ver aqui. Vou confessar meu amor pela Rússia, independente de credo político.  Gosto da comida, gosto da literatura, gosto de como eles se amarram em jogar conversa fora da bacia. Até da música eu gosto. Rússia=USSR, pois muitos dos gênios são da Ucrânia.

La_chatte_est_cach

Ah! Essa Doutora que me "examinou" hoje, cruz-credo!  Ela sofre do mal de médicos especialistas super-bem-sucedidos. Podem saber muito mas sofrem de grosseria brutal ao lidar com os pacientes que os buscam justamente por eles serem os únicos super-especialistas.

Cheguei na Dra. Wulka e ninguém perguntou por um histórico. Entra a Doutora Wulka, até que bem apessoada.

--Qual problema? ( Não há verbo ser em russo.)

-- Não consigo me livrar da inchação. Será que são fotos de cabaços? (Parece que as buscas do meu blog me subiram à cabeça.)

Dra. Wulka segue com seu questionário.

--Desde quando a inchação?

--Desde o primeiro turno do Vulva em 2002. Estava descendo as escadas do Palácio do Catete e...

-- Só falta dizer que viu velhas trepando e muitos homens pelados. Era uma russa a la Gogol.

-- Niet, Dra. Wulka. Deste palácio fui ao Paço Imperial e na saída...

--Viu um monte de vídeos curtos de #%^&^*^*$#R*. Sexo.

-- Niet. Fiquei inchada e daí nunca mais desinchei.

Ela se aproximou e eu temia o pior. Tocou minha clavícula, parte do diagnóstico de fibromialgia.  Declarou peremptoriamente:

-- Você não tem fibromialgia. Quem disse pra fazer sexo anal?

-- EU?? Fiz sexo URAL . Ê-ê, tá me estranhando, Doutora?

-- Quero saber se alguma mulher na sua família tinha ancas largas como você.

--Quer me comer? Niet. Minha babushka tinha ancas largas. Aliás, as duas. Minha mãe, não. E eu tenho bundão. Mas não ancas largas.

Já se tinha decidido sem ler uma linha do meu histórico, que inclui câncer de seio, os dois, asma, neuropatia, e agora os tremores e miastenia mais o diabetes mais a desordem bipolar, a qual o Reinehr diagnosticou muito bem, declarou em alto e bom tom, depois de tocar as partes doloridas de minhas pernas:

--Você tem linfodema, é genético, não tem cura, tem que fazer dieta de 1000 calorias e exercício.

--Mas se não posso andar porque estou toda ralada.  Quer dizer, a miastenia. Os tremores.

--Você faça dieta de 1000 calorias, corte o leite as batatas
(sempre as putas das batatinhas.) Nada de sal.  E exercício. Vá nadar. Bicicleta estelionatária.

--Doutora, tenho artrose nos joelhos e um deles tá com menisco bichado.  Fica com o Jorge todas as noites.

--Não há nada mais que possa fazer. Vejo você em seis meses.

Passamos na recepção e deixamos 300 dólares. Quem acha que russo não fode bem, tá enganado, hein, bem?
Amanhã, a endocrinologista.

Aí, uma banda polilíngüe Teapacks -- Push the Button

links for 2007-07-23, por Nicolas Rouquette

Google

Twitter Updates

    follow me on Twitter

    Amigos do Universo Anárquico℠

    Foto Flickr

    • Pedra do Arpoador,Ipanema, Rio de Janeiro
      www.flickr.com
      This is a Flickr badge showing photos in a set called Pedra do Arpoador,Ipanema, Rio de Janeiro. Make your own badge here.

    Last.FM

    Universo Anárquico℠ Blog Roll